terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Georges Méliès (1861/1938)

Georges Méliès nasceu em 08 de dezembro de 1861, em Paris. Seu nome verdadeiro era Marie-Georges-Jean Méliès. Se Thomas Edison e os Irmãos Lumiére inventaram o cinema, foi Méliès que inventou a ilusão.


 Seus filmes eram feitos com técnicas de mágico aliadas a técnicas cinematográficas, que acabavam por dar ilusão a seus filmes. ( http://rogercinema.blogspot.com/2011/07/historia-do-cinema-parte-1.html )




Méliès não teve uma infância pobre, assim como muitos de sua época. Ao contrário, teve uma educação formal e tradicional. 


Ele ajudou seu pai e seus irmãos no negócio da família (eram sapateiros). E, quando adolescente, foi mandado para Londres, onde conheceu John Nevil Maskelyne, com quem tomou gosto pelo ilusionismo...


1885 - Méliès retorna a Paris, já com 24 anos, e o desejo de estudar na École des Beaux-Arts (Escola de Belas Artes). Mas seu pai foi contra. Assim, ele continuou no negócio da família...

Nesse mesmo ano, ele se casa com Eugénie Genin, com quem viria a ter dois filhos: Georgette (1888) e André (1901).

Quando sua filha nasceu, seu pai se aposentou, e Méliès, agora com 27 anos, vende sua parte no negócio para seus irmãos, e resolve apostar no seu sonho, comprando o Théatre Robert-Houdin (Houdin foi um mestre do ilusionismo do século XIX).

Ali, ele começou a desenvolver inúmeras formas de ilusão, e conheceu a atriz Jeanne d'Alcy, que se tornaria sua amante e segunda esposa (ele foi casado com Eugénie Genin de 1885 a 1913, quando ela morreu, e com Jeanne d'Alcy de 1925 a 1938, quando ELE morreu).



No Teatro, ele aprendeu tudo que precisava, para mais tarde, projetar nas telas. E foi com a idéia dos Irmãos Lumiére, que Méliès descobriu sua vocação: o cinema.

Entre 1896 e 1913, Georges Méliès produziu 531 filmes, entre eles:

Cinderella (1899, com Jeanne d'Alcy como Fada Madrinha)

 




L'homme-orchestre (1900)




L'antre des Espirits (1901)


  
Chez La Sorcière (1901)


La Chrysalide et le Papillon d'or (1901)


Dislocations Mystérieuses (1901)



Excelsior! (1901)


L'Homme à la Tête en Caoutchouc (1901)


L'Omnibus des Toqués Blancs et Noirs (1901)


Le Voyage dans la Lune (1902). Mas Thomas Edison (55 anos) suborna um proprietário de teatro em Londres, e adquire uma cópia do filme. Depois, faz inúmeras cópias, e as apresenta nos EUA. Quando Méliès pensa em apresentar seu filme nos EUA, ele já está sendo assistido por milhares de pessoas. Esse fato leva Méliès à falência.




Chaudron Infernal (1903)


Le Roi du Maquillage (1904)



La Sirène (1904)



Por estes pequenos filmes, cheios de substância, criatividade e diversão, você pode imaginar a importância que Méliès teve para o cinema posterior, onde a ilusão é tão essencial...

Nenhum comentário:

Postar um comentário